Kardec: A Biografia – Marcel Souto Maior

13 maio 2019

Kardec: A Biografia / Marcel Souto Maior / 348 Páginas / Editora Record / ☆☆☆☆☆

SkoobGoodreads

Oooieee! Tudo certo?

Na quinta-feira (16/05) será lançado o filme com a vida de Allan Kardec e a pessoa aqui fez o que? Leu o livro que deu base para a cinematografia. Justo não é mesmo? 😛

Partiu resenha conferir todos os detalhes?

(Clique aqui para conhecer o conteúdo exclusivo no Instagram)

SINOPSE:

Hippolyte Léon Denizard Rivail era um professor cético, autor de livros pedagógicos na França do século XIX, até ver mesas girarem no ar e ditarem, ao som de pancadas, mensagens atribuídas ao além. Uma batida, letra A, duas batidas, letra B, e assim sucessivamente até se formarem frases e textos inteiros, assinados por mortos ilustres ou anônimos. Fraude? Hipnose coletiva? Autossugestão? Energia manipulada pelos vivos… Ou pelos mortos? O que estaria por trás daqueles fenômenos testemunhados por multidões na Europa e nos Estados Unidos, e reverenciados por celebridades como o escritor Victor Hugo? Foi o que o professor decidiu descobrir. Aos 53 anos, depois de pôr à prova o invisível, Rivail mudou de vida e de nome para dar voz aos espíritos. Tornou-se Allan Kardec, uma figura cada fez mais conhecida, admirada… E perseguida. “Razão e emoção, rigor e paixão vão conduzindo os atos de Rivail-Kardec ao longo de sua transformação de professor cético a missionário em campanha. Em alguns capítulos, ele pode parecer um tanto ingênuo, em outros, pragmático demais. Em alguns momentos, agirá como o fiscal rigoroso do movimento, dos médiuns e dos ‘espíritos’; em outras circunstâncias, atuará como o divulgador dedicado a proteger a doutrina e a conquistar o maior número de adeptos. O leitor cético e o leitor espírita devem terminar a leitura do livro com impressões bastante diferentes sobre quem foi Kardec”, afirma o autor. O que transformou o cético em líder de uma doutrina? O que o convenceu a acreditar que os mortos estavam vivos e se comunicavam através de médiuns? O que o fez enfrentar adversários ferrenhos da Igreja e da imprensa para levar ao maior número de leitores sua fé na sobrevivência do espírito? Foi em busca de respostas para estas perguntas que o jornalista Marcel Souto Maior, biógrafo de Chico Xavier, saiu a campo. O resultado de sua pesquisa é Kardec – A biografia,  um retrato surpreendente do homem que se tornou símbolo de uma doutrina para milhões de seguidores e ajudou a transformar o Brasil no maior país espírita do mundo.

São 7 capítulos que vão passando pelo começo do Espiritismo pelas mãos de Allan Kardec.

Começa com as mesas girantes e um Hippolyte Léon Denizard Rivail totalmente cético, até o momento em que ele participa de uma e observa in loco os fenômenos acontecendo.

A partir disso, o professor começa a estudar e se aprofundar nessas questões. Até então, Rivail era professor, escritor de livros pedagógicos e contador.

Com isso, vamos acompanhando os momentos de desconfiança dos fenômenos espirituais, os tormentos das irmãs Fox e as fraudes que começam a ser feitas totalmente debochadas.

Até que a chave vira e Rivail se torna Allan Kardec e dá a início a codificação da Doutrina Espírita. Além dos estudos, também foca na parte espiritual, dando início as mesas mediúnicas sérias. E uma pessoa em particular sempre esteve presente lhe dando apoio incondicional: Sua esposa, Amélie Gabrielle Boudet

O livro aborda as armadilhas e os preconceitos tanto das pessoas quanto de outras religiões quanto a essa novidade, inclusive a parte da queima dos livros em Barcelona. E ao mesmo tempo, o despertar de muitas pessoas que foram tocadas tanto por Kardec quanto pelo O Livro dos Espíritos.

Uma questão interessante é a máxima do “falem mal, mais falem de mim”. Os espíritos amigos orientaram Kardec a deixarem que falassem mal do Espiritismo porque haveria retorno positivo. Uma forma psicológica de dar certo. 😛

Aos poucos, involuntariamente, acompanhamos Allan Kardec desacelerando e em uma contagem regressiva para o falecimento. Sabendo quando foi o dia da desencarne, mostra como a Espiritualidade é sábia demais. E o livro ajuda nessa questão por causa das datas. É fantástico.

Depois da partida de Kardec, vemos como a Doutrina Espírita na Europa e nos Estados Unidos virou o fio e, hoje em dia, não tem mais tantos adeptos assim.

O livro é fantástico e aborda pouco a vida de Hippolyte Léon Denizard Rivail. Mostra mais as partes que ele estava começando a se encontrar com o mundo “invisível” e se decorrer a partir de então. Durante a narrativa são dadas pinceladas sobre a sua vida quando era somente um professor, escritor de “livros normais” e contador.

Realmente a obra é uma ótima base histórica para um filme porque, ao meu ver, não deixou nada de fora. É um rico histórico de quem estuda a Doutrina Espírita em si e quem está nela é sempre ótimo saber dos seus primórdios e dificuldades.

A leitura é fácil, fluída, envolvente e bem leve. O texto é de fácil compreensão a todos. Mesmo se você não for ver o filme, vale muito a pena dar uma lida. 😉

Onde Achar:

Livro disponível em formato físico e e-book

(Você recebe desconto e o blog ganha comissão por venda)

Já leu Karde – A Biografia? Me conta a sua opinião nos comentários. 😉

Qualquer dúvida ou sugestão é só escrever nos comentários ou enviar um e-mail para contato@hidratarvicia.com.br

Beijos! 🙂

(1) Comentário
Sobre
Ooooiee! Eu sou a Juliana, mais pode me chamar de Ju. :) Nasci e moro em Porto Alegre / RS. Sou Jornalista. Amo escrever. Sou espírita e adoro um hidratante corporal. Vem conferir como é normal ser espírita....ou vice versa. :P

Você pode também gostar

Comente pelo Facebook

Deixe seu comentário

1 Comentário

  • […] Bora hidratar a alma nesse sabadão e a dica de filme é: Kardec. E é baseado no livro Kardec – A Biografia de Marcel Souto Maior (Post aqui). […]