Nunca Te Esqueci, Sempre Te Amei! – Fátima Arnolde

15 agosto 2019

Nunca Te Esqueci, Sempre Te Amei! / Fátima Arnolde / Pelo Espírito Alexandre Villas / 224 Páginas / Lúmen Editorial / ☆☆☆☆☆

Skoob

Iiiioieeeee!

E a obra enviada pelo Clube do Livro Boa Nova de maio foi Nunca Te Esqueci, Sempre Te Amei da Fátima Arnolde em parceria com o espírito Alexandre Villas.

Partiu para a resenha conferir todos os detalhes.

(Clique aqui para conhecer o conteúdo exclusivo no Instagram)

RESUMO:

Heleninha é uma jovem estilista possuidora de grande talento e beleza física, mas é também extremamente ambiciosa e manipuladora. Para alcançar o que deseja, é capaz de tomar as atitudes mais censuráveis, inclusive envolvendo ações criminosas. Contratada para desenvolver suas atividades em uma grande empresa da moda, passa a ter sérios problemas numa relação de amor e ódio com Renato, filho do proprietário e diretor dessa empresa. Para atingi-lo, Heleninha envolve Fernando, melhor amigo de Renato, em um meticuloso jogo de sedução. Conhecedores do espiritismo, os familiares de Renato ficam sabendo, por meio do dirigente de um centro espírita, que a tumultuada relação entre os dois jovens é consequência de débitos morais contraídos em vidas passadas e que o rapaz precisa se munir de muita paciência para lidar com a moça, que sofre grave processo de obsessão espiritual. A história é envolvente e tem o objetivo de mostrar que não há encontros casuais nas relações humanas e que a lei da reencarnação é, para os espíritos em estágio de provas e expiações, a sagrada oportunidade de reconquistar as afeições arruinadas por escolhas equivocadas no passado.

A história é um romance atual e possui espiritualidade, obsessão e mediunidade ao longo de toda a narrativa.

A protagonista chama-se Maria Rita e desde a infância possui problemas obsessivos sérios a ponto do corpo ser tomado por “outra pessoa” denominada Soraia. Pelos médicos foi diagnosticada com esquizofrenia. Maria Rita acaba se tornando Heleninha e para ajudá-la, os amigos a colocam para trabalhar na Angels Brasil como estilista.

Acaba tendo Renato como chefe. Vindo de uma família espírita, possui grande sensibilidade e capta a energia daqueles que cruzam o seu caminho. Por isso consegue perceber a dualidade em Heleninha e sempre sente fortes dores nos estômago.

A cigana Soraia quer prejudicar ao máximo Tomás (Hoje Renato), seu amor de vidas passadas, onde o mesmo deu preferência para a família e não quis ir morar com ela no acampamento cigano. Para seus fins, envolve-se com Fernando, que possui uma paixão obsessiva pela moça e o tiro acaba saindo pela culatra.

Os pais dos envolvidos são extremamente importantes para a narrativa, pois eles possuem conhecimentos espirituais e sabem de toda a história de Heleninha. São eles também que dão um baita suporte em todos os momentos importantes da narrativa.

Renato, por sua vez, com grande capacidade mediúnica e ajudado por benfeitores espirituais, desvenda os motivos dos acontecimentos. Inclusive de ter sido o português Tomás, ter uma esposa chamada Helena, tido dois filhos chamados Manoel e Antônio e os motivos de tamanha obsessão de Soraia em Maria Rita.

A leitura é mega fluído e envolvente e o texto é de fácil entendimento a todos. São 224 páginas que, literalmente, passam voando.

Apenas que livro fantástico! Minha nossa! É chocante e fantástico ao mesmo tempo. Mostra a obsessão severa de forma prática e sem passar pano, digamos assim.

É o segundo livro que leio da Fátima e a cada leitura me cativa mais. Sensacional!

Onde Achar:

Disponível em e-book e formato físico:

(Você recebe desconto e o blog ganha comissão por venda)

Já leu Nunca Te Esqueci, Sempre Te Amei? Me conta nos comentários a sua experiência de leitura.

Qualquer dúvida ou sugestão é só escrever nos comentários ou enviar um e-mail para contato@hidratarvicia.com.br

Beijos! 😉

(0) Comentários
Sobre
Ooooiee! Eu sou a Juliana, mais pode me chamar de Ju. :) Nasci e moro em Porto Alegre / RS. Sou Jornalista. Amo escrever. Sou espírita e adoro um hidratante corporal. Vem conferir como é normal ser espírita....ou vice versa. :P

Você pode também gostar

Comente pelo Facebook

Deixe seu comentário