Hidratando a Alma: Palestra “Vícios e Paixões Morais: Para Que Mudar?” – Alberto Almeida

28 junho 2020

Oooieeee!!!

Partiu hidratarmos a alma nesse domingão com a palestra espírita que hoje é com Alberto Almeida e o assunto “Vícios e Paixões Morais: Para Que Mudar?”. O evento aconteceu no dia 23 de março de 2019 no 9th Spiritist Conference of Florida nos Estados Unidos.

(Clique aqui para conhecer o conteúdo exclusivo no Instagram)

O palestrante começa falando sobre a regeneração, lembra o que foi comentado sobre paixões no O Livro dos Espíritos que a mesma pode levar a se fazer coisas grandiosas e o problema está na forma como a paixão é manipulada.

Traz metáforas com os rios, fala dos pontos onde ocorrem melhores navegabilidades e faz um comparativo com as leis da natureza. Relembra que o sofrimento é um chamamento para a pessoa voltar a centralidade, aborda o equilíbrio da respiração e em tudo ter uma fisiologia.

A partir de então começa a discorrer sobre as leis, seus extremos e o caminho do meio, iniciando com a adoração, onde de um lado tem o ateísmo, do outro a idolatria e dá exemplo das questões religiosas, onde muitos se matam em nome de Deus e a guerra santa.

Depois fala sobre a lei do trabalho, onde um lado é a indolência, do outro a estafa e o caminho do meio é o repouso e/ou ocupação útil. Dá um exemplo seu de quando marcou dois eventos no mesmo dia e em cidades opostas e também do seu acidente vascular cerebral por excesso de trabalho.

Alberto cita a lei da reprodução, tendo de um lado a castração, do outro a promiscuidade e o meio a continência e/ou planejamento. Relembra que, com o tempo, se foi de um ponto a outro e hoje o mundo está encalhada na promiscuidade.

Depois vai para a lei da conversação, onde se tem de um lado a dilapidação, o o outro o apego e o meio é a impermanência. E aqui mostra a importância de discernir o corpo do espírito. Após vem a lei da destruição, tendo de um lado a crueldade, do outro a permanência e o meio é a transformação e/ou compaixão. Comenta sobre lidarmos com a energia agressiva, levando-a para uma perspectiva de transformação e não de destruição.

O palestrante continua discorrendo sobre as leis e agora aborda a lei da sociedade tendo o individualismo de um lado, a amálgama do outro e o pertencimento e/ou diferenciação no meio. Também cita a lei do progresso, onde um lado é o retardo, o outro o atropelo e o meio é o tempo de Deus. Cita a importância de respeitar o movimento e dá o exemplo de um filho tornar-se maduro antes que o tempo lhe amadureça.

Por fim, cita a lei de igualdade, onde de um lado temos a subserviência, do outro a arrogância e o meio onde todos são irmãos. A lei da liberdade, onde um lado é a escravidão, do outro o absolutismo e o meio são os direitos e deveres e a lei de justiça, amor e caridade, onde um lado tem o justiceiro, a frieza e a indiferença, do outro tem a injustiça, paixão paixão e a esmola e o meio é a justiça, amor e caridade. Acaba discorrendo sobre o verdadeiro amor e traz a metáfora da jardinagem.

Alberto sendo Alberto. Sendo levando ensinamentos de forma leve e engraçado. Adoro! Cada dia melhor.

Qualquer dúvida ou sugestão é só escrever nos comentários ou enviar um e-mail para contato@hidratarvicia.com.br

Beijos! 😉

(0) Comentários
Sobre
Ooooiee! Eu sou a Juliana, mais pode me chamar de Ju. :) Nasci e moro em Porto Alegre / RS. Sou Jornalista. Amo escrever. Sou espírita e adoro um hidratante corporal. Vem conferir como é normal ser espírita....ou vice versa. :P

Você pode também gostar

Comente pelo Facebook

Deixe seu comentário