Revista Espírita 1858 – Allan Kardec

21 setembro 2021

Revista Espírita 1858 / Allan Kardec / 493 Páginas / Editora Feb / ☆☆☆☆☆

SkoobGoodreads

Oooiiieeeee!!!

E, enfim, peguei para ler o primeiro ano da Revista Espírita e também chamado de Jornal de Estudos Psicológicos, escrita por Allan Kardec e lançada pela Editora Feb.

O mesmo é um compilado do ano inteiro de publicações da revista na época, ou seja, começando por 1858 e só terminando em 1869, ano de desencarne do codificador espírita.

Mas bora conferir todos os detalhes na resenha abaixo.

(Clique aqui para conhecer o conteúdo exclusivo no Instagram)

RESUMO:

Periódico mensal, a Revista Espírita – Jornal de Estudos Psicológicos – circulou pela primeira vez em Paris, no dia 1º de janeiro de 1858, e foi publicada sob a responsabilidade direta de Allan Kardec até a sua desencarnação, ocorrida em 31 de março de 1869, passando, a partir de então, a ser administrada pelos seus continuadores até os nossos dias. Allan Kardec transformou-a numa espécie de tribuna livre, na qual sondava a reação dos homens e a impressão dos Espíritos acerca de determinados assuntos, ainda hipotéticos ou mal compreendidos, enquanto lhes aguardava a confirmação, utilizando o critério da concordância e da universalidade do ensino dos Espíritos. Inúmeros capítulos dos livros básicos da Codificação, na íntegra ou com pequenas modificações, vieram à luz por meio da Revista Espírita. Pelas suas páginas admiráveis desfilam os assuntos mais diversos, desde a fenomenologia mediúnica nos seus variados matizes, até as dissertações da mais pura moral evangélica e a vida no mundo espiritual.

Ao todo, a obra possui 12 capítulos (sendo os 12 meses do ano) com vários subtópicos dentro, além da apresentação da Feb, notas do tradutor e depois as explicativas.

Inicia tendo uma introdução e depois começa a discorrer sobre os mais variados assuntos mediúnicas e da Doutrina em si como as diferentes naturezas de manifestações e os modos de comunicações, respostas dos espíritos, manifestações físicas, evocações particulares, os médiuns julgados, visões, história de Joana D´Arc, as diferentes ordens dos espíritos e suas escalas, espíritos errantes ou encarnados, conversas do além-túmulo, pluralidade dos mundos, Júpiter e alguns outros mundos, a fatalidade e os pressentimentos, magnetismo e espiritismo, o Espiritismo entre os druídas, teoria das manifestações físicas, o orgulho, metades eternas, Mozart, confissões e morte de Luis XI, teoria das manifestações físicas, a preguiça, conversas familiares de além túmulo, o suicida da Samaritana, os banquetes magnéticos, a descoberta fotográfica, o tambor de Beresina, a caridade, propagação do Espiritismo, os gritos da noite de São Bartolomeu, os talismãs, os problemas morais, obsediados e subjugados, o magnetismo e o sonanbulismo, questões de Espiritismo legal, fenômenos de aparição, polêmica espírita, médium pintor, independência sonambúlica, uma noite esquecida, aparições, o médium vidente Sr. Adrien, fenômeno da bicorporeidade, sensações dos espíritos, o papel da mulher, a bela cordoeira e monomania.

Assim como nas obras da codificação, Kardec vai misturando explicações dos estudos e descobertas em andamento com histórias de espíritos desencarnados. Tanto é que algumas edições de julho destacaram o surgimento das questões das fotografias, como diferenciá-las e se as mesmas eram de fatos reais ou não. Com o passar do tempo, as páginas também deram lugar a respostas de Kardec sobre o que se estava sendo comentado sobre o Espiritismo naqueles tempos. Literalmente um canal oficial de antigamente. Hoje em dia, Kardec criaria vídeos no Youtube e reels dando a sua visão e respostas sobre a opinião de alguém.

As histórias dos amigos espíritos desencarnados variam bastante e abordam pessoas conhecidas e totalmente desconhecidas, culturas diferentes e n estágios de entendimentos dos comunicantes. A narrativa que mais me chamou a atenção foi da viúva de Malabar denominada Fatimah, onde a mesma foi queimada em cima do corpo do marido na Índia e tinha perdido total a noção do tempo. É uma comunicação tão simples, singela e, ao mesmo, tão profunda e cheia de significados.

O texto é de fácil entendimento e a leitura é densa, independente da sua intenção com a obra. É um ótimo livro para estudo somente dele ou complemento com algum outra da codificação.

Onde Achar:

Disponível em formato físico e digital:

(Blog ganha comissão por venda)

Qualquer dúvida ou sugestão é só escrever nos comentários ou enviar um e-mail para contato@hidratarvicia.com.br

Beijos! 🙂

(1) Comentário
Sobre
Ooooiee! Eu sou a Juliana, mais pode me chamar de Ju. :) Nasci e moro em Porto Alegre / RS. Sou Jornalista. Amo escrever. Sou espírita e adoro um hidratante corporal. Vem conferir como é normal ser espírita....ou vice versa. :P

Você pode também gostar

Comente pelo Facebook

Deixe seu comentário

1 Comentário

  • […] e respostas para perguntas feitas por leitores na época. Esses dias citei em uma resenha (POst aqui) que Kardec seria um grande adepto dos vídeos no youtube e reels no Instagram, pois o mesmo vale […]