Falando Com Os Mortos – Barbara Weisberg

07 janeiro 2022

Falando Com Os Mortos / Barbara Weisberg / 423 Páginas / Editora Agir / ☆☆☆☆☆

SkoobGoodreads

Ooiiiieeee!!!

E daí peguei para ler Falando Com Os Mortos da autora Barbara Weisberg, traduzido pela Luciana Persice, lançado no Brasil pela Editora Agir. O mesmo é uma biografia completa sobre as irmãs Fox e também o começo do Espiritismo e a descoberta da mediunidade.

Partiu conferir todos os detalhes na resenha abaixo.

Antes, um aviso: O livro possui gatilhos. Não leia a resenha nem a obra se estiver emocionalmente ou espiritualmente sensível. Qualquer coisa procure o CVV.

RESUMO:

“Formado sob muitas influências diferentes, o espiritualismo moderno como movimento popular começou com as batidas de Hydesville. Desafiando os teólogos judaico-cristãos que argumentavam que as supostas visitações de espíritos eram manifestações demoníacas ou ilusões, os norte-americanos, em fins do século XIX, lotavam as sessões espiritualistas em busca de sabedoria e de consolo no que acreditavam ser uma evidência tangível da imortalidade. Muitos dos que partilhavam esse pensamento eram homens e mulheres que lutavam para conciliar religião e ciência, num tempo em que os geólogos questionavam a própria idade e a origem da Terra e de suas criaturas. Fosse por desígnio dos espíritos ou por inadvertência, Kate e Maggie Fox serviram de catálise para o que aqueles que acreditavam na comunicação com os espíritos chamavam de o raiar de uma nova era.”

Ao todo, a obra possui 5 grandes partes separadas por anos com vários subtópicos dentro de cada, além da ficha catalográfica, sumário, dedicatória, prefácio, epígrafe, introdução e depois o posfácio, sons misteriosos, agradecimentos, bibliografia escolhida e créditos.

A primeira parte se passa entre 1789 a 1849, fala sobre A Terra e o mundo dos espíritos, discorre sobre a família Fox, tendo o pai John, a esposa Margaret e suas filhas Kate, Maggie e Leah e a mudança da família para uma comunidade rural chamada Hydesville em Nova York (EUA). Logo após se instalarem, as meninas ouvem batidas pela casa e, a partir de então, tudo começa a acontecer tanto de forma positiva quanto negativa. A primeira parte aborda também os antecendentes familiares e o início das investigações em torno do fato das meninas realmente serem sensíveis ou só estarem zoando, digamos assim.

Indo para o segundo capítulo, se chega em 1849 a 1852 com o Progresso do Espiritualismo Moderno e por aqui é comentado sobre a descoberta da mediunidade e todas as questões duvidosas da época, além do surgimento do espiritualismo. Já a terceira parte se passa entre 1852 a 1857 e fala sobre o Querido e Adorável Espírito e, neste capítulo, é basicamente abordando a sexualidade das meninas e o desabrochar da vida adulta das mesmas.

O quarto capítulo se passa entre 1857 a 1888 e é uma sequência do anterior, onde é mostrado com mais detalhes algumas situações, delicadíssimas, que as irmãs passaram. Entre elas, os vícios em álcool, a contínua desconfiança se eram sérias ou apenas estavam tirando onda e tudo isso misturado com a forte sensibilidade das meninas, tendo mediunidade ostensiva ou não. E a última parte, se passa entre 1888 até os dias atuais com A Vida no Além, onde é comentado sobre os momentos finais das meninas já mulheres encarnadas e as consequências sobre o Espiritualismo Moderno como era chamado na época.

O livro em si deixa totalmente em aberto a questão das irmãs terem realmente mediunidade ou apenas ficaram zoando para ganhar dinheiro ou atenção. Apenas dá todas as informações daquela época para fazer o leitor pensar. Apesar disso, é impossível não se comover com toda a tortura física que passaram nos primeiros anos de batidas e mesas girantes e o quanto não tiveram suporte algum em nenhum aspecto, tanto que se perderam totalmente como seres humanos.

Durante toda a narrativa, vai ocorrendo uma mescla entre a vida das meninas feat. família e os estudos feitos para conhecer melhor a Espiritualidade e todas as novas questões que vieram junto como mediunidade e fé.

O texto é de fácil entendimento e a leitura é densa em alguns momentos, necessitando de pausas para reflexões. Não é uma obra leve, muito pelo contrário, mas possui um riquíssimo conteúdo histórico importantíssimo.

Onde Achar:

Disponível em formato físico e digital:

(Blog ganha comissão por venda)

Qualquer dúvida ou sugestão é só escrever nos comentários ou enviar um e-mail para contato@hidratarvicia.com.br

Beijos! 🙂

(0) Comentários
Sobre
Ooooiee! Eu sou a Juliana, mais pode me chamar de Ju. :) Nasci e moro em Porto Alegre / RS. Sou Jornalista. Amo escrever. Sou espírita e adoro um hidratante corporal. Vem conferir como é normal ser espírita....ou vice versa. :P

Você pode também gostar

Comente pelo Facebook

Deixe seu comentário

Hidratar Vicia