Hidratando a Alma: Filme Kardec – Wagner de Assis

18 maio 2019

Oooieeee!

Bora hidratar a alma nesse sabadão e a dica de filme é: Kardec. E é baseado no livro Kardec – A Biografia de Marcel Souto Maior (Post aqui).

A obra foi lançada na quinta-feira (16/05), com direção de Wagner de Assis e tem Leonardo Medeiros como protagonista.

(Clique aqui para conhecer o conteúdo exclusivo no Instagram)

Foto: Instagram Kardec – O Filme

SINOPSE:

A jornada de Allan Kardec (Leonardo Medeiros), nascido Hypolite Leon Denizard Rivail, desde quando trabalhava como educador em Paris até iniciar seu processo de codificação do espiritismo ao lado de sua esposa Amélie-Gabrielle Boudet (Sandra Corveloni).

O filme começa em 1852 com o professor Hippolyte Léon Denizard Rivail dando aula para seus alunos. Tudo ia bem até que o catecismo se torna obrigatório nas escolas da França.

Rivail se aposenta e começo buscar novos caminhos, ora tentando escrever livros pedagógicos, ora dando aulas particulares ou como contador. Em paralelo a isso, temos o começo das mesas girantes e a grande curiosidade da população.

Depois de muito recusar, Rivail se rende e começa a participar dos fenômenos, inclusive, o seu viés negativo com gente tentando ganhar dinheiro em cima desse fato.

A partir de então, Rivail se torna Allan Kardec e começa sua caminhada na divulgação do Espiritismo. E sua esposa, Amélie-Gabrielle sempre junto e sendo essencial nos principais momentos.

O filme também aborda a vaidade tanto pessoal quanto mediúnica, obsessão e muita, mais muita, intolerância religiosa.

Daí vem a pergunta: “Ju, é parecido com o livro?” Mais ou menos. Deram mais ênfase em algumas partes, principalmente a questão do grande pré-conceito com a Doutrina.

O filme mostra um Allan Kardec gente como a gente, saca? É impossível não se identificar com ele no começo de tudo. Até o espírita mais antigo também “pagou pra ver” no início.

E os pequenos deboches ao longo de toda a narrativa? S-e-n-s-a-c-i-o-n-a-l. Que horas vão criar um instagram “Kardec Debochado”? 😛

Por causa do tempo, somente O Livro dos Espíritos e O Livro dos Médiuns tiveram destaque. Esse último mais pela questão da vaidade mediúnica que a obra abordou tão eficientemente.

Wagner de Assis arrasou como sempre. Sem palavras. Leonardo Medeiros foi fantástico em todos os momentos. Conseguiu transmitir a essência e levar um Kardec, até então tão intocável, para mais perto das pessoas.

Como sou entusiasta da “modernização” do Espiritismo, eu gostei. Talvez quem curte uma Doutrina Espírita “cartilhada” vai torcer um pouco o nariz, principalmente por mostrar um Rivail / Kardec sendo totalmente humano e gente como gente.

Não sei vocês, maaaaas, eu sai com a sensação de que o Kardec poderia facilmente ser meu vizinho e que poderíamos tomar um café falando sobre as questões espirituais.

Obrigada, Marcel! Obrigada, Wagner! Obrigada, Leonardo! Obrigada, Sandra!

Qualquer dúvida ou sugestão é só escrever nos comentários ou enviar um e-mail para contato@hidratarvicia.com.br

Beijos! 😉

2 Comentários
Sobre
Ooooiee! Eu sou a Juliana, mais pode me chamar de Ju. :) Nasci e moro em Porto Alegre / RS. Sou Jornalista. Amo escrever. Sou espírita e adoro um hidratante corporal. Vem conferir como é normal ser espírita....ou vice versa. :P

Você pode também gostar

Comente pelo Facebook

Deixe seu comentário

2 Comentários

  • […] Resenha completa aqui. […]

  • […] O documentário começa falando sobre a 3º revelação e do surgimento do Espiritismo através de Allan Kardec. Comenta também sobre as mesas girantes, as irmãs FOX e todas as questões espirituais e tão polêmicas naquela época. Para quem já viu, lembra bastante o filme recém lançado, e que está na Netflix, sobre a vida do codificador (Post aqui). […]